Corpo

publicidade
29 de junho de 2012 • 20h02 • atualizado às 20h10

Veja como garantir seios firmes e bonitos por mais tempo

Alguns fatores como gravidade e mudanças de hormônio podem murchar os seios e deixá-los flácidos, porém algumas medidas podem previnir esse efeito
Foto: Getty Images
 

Parece não ter jeito: com a idade, os seios ficam flácidos e perdem o volume. Amamentação, gravidade, idade... Muitos fatores são acusados de serem culpados por isso. Mas o que realmente causa essa queda? O que podemos fazer para manter a comissão de frente mais resistente e bonita? O jornal Daily Mail reuniu dicas de especialistas para ajudá-la nessa missão.

Gravidade: o inimigo número 1
Nenhuma parte do corpo é mais afetada pela gravidade do que os seios. Desde o momento em que o peito feminino atinge seu ápice de crescimento, no final da adolescência, ele enfrenta uma difícil batalha contra essa força. Um par de seios chega a pesar quase dois quilos e o corpo não possui um suporte natural para mantê-los no lugar por tantos anos.

Segundo o cirurgião Ian Laidlaw, peitos caídos podem ter um impacto psicológico sério na mulher. “Uma grande parte da feminilidade de uma mulher está em seus seios. Por isso, apesar dessa flacidez ser uma mudança prevista, ela pode afetar muito a autoestima, levando às vezes até a um transtorno médico”, explica.

Os seios são feitos da soma das glândulas mamárias e gordura e são presos por centenas de pedaços de tecidos que os mantêm suspensos. O quão empinado eles vão ficar depende de seus genes, que regulam a quantidade de gordura, glândulas e tecido conjuntivo que eles contêm.

Tente manter seu peso estável
Há dois locais onde a gordura é encontrada na mama. Cerca de 70% está com as glândulas para formar o corpo principal do seio. A gordura é mais pesada que a glândula e, portanto, mais difícil de sustentar. "Uma das melhores coisas que você pode fazer para seus seios é manter um peso corporal constante para a sua altura, que está dentro da faixa recomendada", defende Laidlaw. O resto da gordura fica em uma camada de enchimento sob a pele. É isso que tende a mudar de espessura quando você ganhar ou perder peso. Se esta camada engrossa dramaticamente, ela afeta a pele de apoio, que permanecerá mais esticada mesmo que você emagreça novamente. Por isso, o efeito iô-iô causa mais flacidez.

Não se preocupe com a amamentação
Muitas mulheres culpam a amamentação pela flacidez dos seios. Porém, pesquisas mostram que é a expansão e contração das glândulas mamárias causadas pela gravidez, e não a amamentação, que causam a queda.

Um estudo americano entrevistou 132 mulheres procurando por cirurgias para subir ou aumentar os seios. Apenas cerca da metade tinha amamentado uma criança por um período médio de nove meses. Os pesquisadores não encontraram nenhuma diferença no grau de flacidez entre as mulheres que haviam amamentado e as demais. "As mulheres não devem abandonar a ideia de aleitamento materno, especialmente porque os benefícios de saúde para o bebê superam quaisquer possíveis efeitos sobre os seios", atesta Laidlaw.

Dispense o cigarro
Como qualquer outro lugar no corpo, a pele sobre o peito inclui uma rede de fibras de colágeno, que garante a firmeza, a elasticidade e a flexibilidade. Com o tempo, essas fibras vão se quebrando e taxa de renovação das células cai. Assim como o rosto, os seios não devem ser muito expostos ao sol, pois os raios ultravioleta quebram o colágeno e a elastina.

O fumo também conduz às rugas e leva à deterioração da pele da mama. "O efeito do cigarro é tão marcante que é possível dizer se ela fuma apenas olhando para os seios. Mesmo que você tenha fumado por anos, terá uma melhora acentuada na pele se deixar o cigarro”, afirma Laidlaw. O especialista é cético em relação a cremes para pele contendo estrogênio e vitamina E, que prometem melhorar a firmeza da mama. "Você pode absorver estrogênio através da pele, mas não é uma maneira muito eficiente", diz ele.

Exercite-se usando um top
Quando o assunto é exercício físico, há questões positivas e negativas. A dose certa pode manter seus seios maiores, pois melhora a irrigação sanguínea. Embora não haja músculo na mama em si, é possível construir os peitorais mais fortes para um efeito de elevação.

Porém, algumas atividades, especialmente a corrida, podem acelerar a queda devido ao impacto, que faz os seios saltarem e desgasta os ligamentos. Por isso, é preciso executá-las com um suporte adequado. “Descobrimos que os seios se movem em média 10 cm – para cima e para baixo, de um lado para o outro e para frente e para trás”, afirma Jenny White, do Grupo de Pesquisa em Saúde Seios da Universidade de Portsmouth. O top ou sutiã pode reduzir essas ocilações em até 74%.

Fique de olho nos hormônios
O estrogênio é principal hormônio a influenciar a aparência dos seus seios. É esse hormônio sexual feminino que é responsável por fazer as mamas crescerem e estimula o desenvolvimento de uma rede de dutos que levam o leite aos mamilos. Todo mês, durante o ciclo menstrual, o nível de estrogênio aumenta para preparar o corpo feminino para uma possível gravidez. O efeito colateral disso é uma expansão do tecido mamário.

Após a menopausa, quando os níveis de estrogênio começam a cair permanentemente, as glândulas e os dutos perdem sua função, fazendo os seios parecerem vazios. O tecido que faz os peitos ficarem firmes também encolhe e é substituído por gordura, que é mais pesada e não resiste tão bem à gravidade.

 

 

Terra Terra