Cuidados Especiais

Cuidados Especiais

publicidade
06 de maio de 2012 • 09h24

Acne pode atingir de recém-nascidos a adultos: veja como tratar

Acne pode atingir de recém-nascidos a adultos: veja como tratar e prevenir
Foto: EFE
 

A acne afeta 80% dos adolescentes e costuma ser mais severa nos homens do que nas mulheres, diz Pedro Redondo, membro do Departamento de Dermatologia Médico-Cirúrgica e Venereológica da Clínica Universidade de Navarra (Espanha). Alguns tipos especiais de acne podem surgir em recém-nascidos, em pessoas adultas expostas a determinados produtos industriais ou entre quem toma certos remédios. No entanto, "estas formas clínicas são menos frequentes que a acne juvenil clássica", esclarece.

A acne se manifesta através de diferentes tipos de lesões, que podem ser inflamatórias ou não inflamatórias. Segundo o especialista, um mesmo paciente pode apresentar vários tipos delas ao mesmo tempo.

Dentro das lesões não inflamatórias se incluem os cravos e espinhas. Entre as inflamatórias, no entanto, estão as pápulas avermelhadas, pústulas, nódulos e quistos. "As duas últimas são as maiores, já que podem deixar cicatrizes residuais, a sequela mais significativa da acne", explica.

"As lesões próprias desta afecção cutânea se localizam principalmente no rosto, nas costas, nos ombros e na região pré-esternal, que são as regiões seborreicas do corpo", destaca o médico.

"Limpeza diária e correta da pele"
Para combater esta doença, a Academia Espanhola de Dermatologia e Venereologia (AEDV) recomenda "realizar uma limpeza diária e correta da pele". Neste sentido, os dermatologistas aconselham usar um sabão suave e secar sem friccionar.

No entanto, repetir esta operação mais de duas vezes ao dia pode ser contraproducente, pois poderia causar irritação. Também é benéfico lavar o cabelo com a frequência necessária para mantê-lo limpo.

No entanto, Os especialistas da AEDV dizem que "o problema que desencadeia a acne não é a sujeira". Por isso, não se deve ser obcecado com a higiene.

O tratamento da acne requer constância já que esta patologia pode ser mantida ativa durante meses ou inclusive anos, adverte a AEDV. Em muitos casos é preciso recorrer a cremes farmacológicos antiacne. Também existe um tratamento com pastilhas, mas este é usado com menor frequência que os cremes.

"Os cremes utilizados para tratar a acne podem irritar a pele, mas este não é motivo para suspender o tratamento. O mais adequado é espaçar seu uso e aplicá-los somente a cada dois ou três dias. Assim, a pele se costuma a aprender a tolerar estes produtos¿, afirma a AEDV.

Os especialistas recomendam usar cosméticos de marcas reconhecidas livres de óleos. "Não existem remédios milagrosos nem tratamentos alternativos que superem em eficácia os comercializados pelas indústrias cosmética e farmacêutica, e o dermatologista prescreve", adverte o órgão.

Por outro lado, manipular as lesões da acne é sempre uma má ideia na hora de prevenir as marcas. De fato, "ao apertar os pontos podemos transformar uma lesão que ia desaparecer em pouco tempo em outra muito mais visível e duradoura. Além disso, ao se curar deixará como sequela uma cicatriz", apontam os especialistas da AEDV.

Quando se sofre de acne torna-se necessário comparecer à consulta do especialista. Deste modo, o dermatologista poderá individualizar o tratamento em função do sexo, da idade e do tipo de acne de cada paciente.

EFE EFE - Agencia EFE - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia EFE S/A.