publicidade
09 de abril de 2012 • 09h12

Levedo de cerveja combate lesões e o envelhecimento precoce

Uma das bebidas mais consumidas pelo povo brasileiro, a cerveja também é uma alternativa para quem deseja ter pele bonita
Foto: Shutterstock / Terra
 

A cerveja é uma das bebidas preferidas do brasileiro e a sua principal finalidade é servir de desculpa para reunir os amigos, correto? Nem sempre. Há muitos anos, ela também vem sendo utilizada como base para tratamentos estéticos, que recorrem ao levedo - rico em fibras, aminoácidos e vitaminas do Complexo B -, para combater problemas de pele como acne e psoríase.



De acordo com Ana Luísa Sampaio, dermatologista responsável pelo serviço de Dermatologia do Hospital Israelita Albert Sabin, do Rio de Janeiro, e sócia efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), "o levedo de cerveja beneficia pessoas que possuem deficiência de nutrientes e pode atuar ainda sobre o estresse oxidativo, que é uma das causas do envelhecimento cutâneo".



Entretanto, segundo Moises Albuquerque, dermatologista e também membro da SBD, apesar dos relatos do uso desta substância ser de longa data, sua aplicabilidade para melhoria da cútis ainda não foi comprovada, por isso, o tratamento com levedo só deve ser utilizado como um método auxiliar. "Há indícios de que o levedo de cerveja já era utilizado para tratar da acne por volta de 300 a.C., fase em que não existiam remédios eficazes para tratamento. Agora, estamos em 2012, e vivemos em uma época, na qual os dermatologistas combatem a acne com relativa tranquilidade. Além do mais, até hoje não existem estudos conclusivos sobre os benefícios desta substância no combate à acne, portanto, é fundamental que as pessoas interessadas neste método consultem um médico".



A nutricionista Bruna Murta, da Rede Mundo Verde, defende que "o levedo combate a fraqueza muscular e a dificuldade de concentração. Também pode melhorar o funcionamento cerebral e a pele, como nos casos de acne, eczemas (irritação na pele) e psoríase". Segundo ela, as vitaminas do complexo B, presentes no levedo de cerveja, estão envolvidas em vários processos metabólicos do corpo humano, principalmente na síntese (formação) de carboidratos, que são importantes para fornecer energia ao organismo, mantendo seu equilíbrio e bom funcionamento.



Da acne à queda de cabelo

Apesar de a maioria dos benefícios ainda requerer comprovação científica, o levedo, obtido por meio do fungo

Saccharomyces cerevisiae

, também pode ser uma boa opção para as mulheres que sofrem com a oleosidade da cútis.



"A substância contribui para a melhoria das lesões causadas pela acne, para a redução da oleosidade da pele e até mesmo para a queda de cabelo. Ela também tem se mostrado promissora no tratamento de eczemas e psoríase (doença inflamatória da pele)", revela Luciana do Espírito Santo Saraiva, dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro integrante do corpo clínico do Hospital Felício Rocho, de Belo Horizonte.



Onde encontrar?

Ainda pouco conhecido do grande público, a substância não é comercializado em grande escala. Por isso, o levedo pode ser encontrado com mais facilidade em casas de produtos naturais sob a forma de farinhas (que pode ser misturada aos alimentos) ou em cápsulas (consumidas 30 minutos antes das refeições).



Além disso, já existem linhas de cosméticos que exploram as propriedades do levedo em cremes e xampus. Uma das principais redes que comercializam esse tipo de produto é a loja virtual Payot e a linha importada Manufaktura.



Com restrições

Mesmo com o seu alto poder nutritivo e benefícios, os produtos naturais e industrializados feitos à base da substância devem ser consumidos apenas com a autorização prévia de um profissional da área da saúde, pois a substância pode causar algumas disfunções intestinais por competir com bactérias probióticas (bactérias benéficas) presentes no intestino. Portanto, pessoas que apresentam algum problema intestinal devem evitar o levedo.



Mas, na maioria dos casos, a substância não oferece riscos à saúde. "Quando ingerido sob orientação médica e na quantidade adequada, não há efeitos colaterais", garante Luciana.



Agência Hélice,
Especial para o Terra
Terra