publicidade
08 de maio de 2012 • 08h44

Água oxigenada ajudar a clarear manchas pós-depilação

Mistura com água oxigenada e pó descolorante pode devolver a tonalidade uniforme da cútis
Foto: Shutterstock / Terra
 

Com o tempo, procedimentos depilatórios, principalmente os realizados com cera quente, podem provocar manchas escurecidas na pele. Isso porque, cada organismo reage de maneira diferente ao contato dos produtos sobre a cútis. A boa notícia é que há como remover as manchas e devolver a cor uniforme da pele com uma dica simples que pode ser feita em casa, usando como base a água oxigenada.



O processo é parecido com o de descoloração dos pelos, no qual se utiliza água oxigenada de 20 volumes misturada ao pó descolorante sobre a pele para eliminar as manchas do corpo. "Antes disso, porém, é necessário realizar o teste alérgico", explica Ana Cristina Soares, esteticista e uma das proprietárias da Crislú Clínica de Estética.



Dando negativo o teste alérgico, a mistura deve ser aplicada diretamente sobre a região escurecida, como a virilha ou as axilas, e permanecer em contato com a pele por cerca de dez minutos. Em seguida, deve ser retirado com água abundante. O clareamento da cútis começa a aparecer logo na primeira aplicação.



Vale lembrar que, após o procedimento é preciso evitar a exposição ao sol ou utilizar produtos dermatológicos com álcool em sua composição, pois eles podem irritar a epiderme. Além disso, para manter efeito do clareamento, será necessário refazer o processo a cada 28 dias.



Nas clínicas de estética, a técnica é seguida de uma hidratação na pele, considerada uma etapa fundamental. O processo pode ser repetido em casa com um creme de sua preferência. "A hidratação é uma parte importante deste tratamento para evitar o ressecamento da pele", ressalta a esteticista.



Efeito colateral

Devido à mistura de amônia, encontrada nos pós descolorantes, e de substâncias químicas que compõem a água oxigenada, algumas pessoas podem reagir de maneira adversa à mistura, apresentando irritações e até queimaduras, esclarece Adriano Almeida, dermatologista e tricologista e diretor do Instituto de Dermatologia e Estética (IDE).



Segundo ele, caso haja queimaduras, a pele pode ficar com dermatite de contato crônica (inflamação ou inchaço da pele), prurido (coceira intensa que pode provocar machucados na cútis), bolhas e a própria hipercromia (escurecimento na região). "As opções mais seguras para clarear essas regiões são os dermocosméticos específicos para este fim, assim como os peelings a laser", alerta Almeida.

Agência Hélice