Depilação

publicidade
09 de agosto de 2012 • 08h30

Cera com anestésico natural diminui 60% da dor na depilação

Cera com anestésico natural é capaz de diminuir até 60% da dor da depilação
Foto: Shutterstock
  • Especial para o Terra
 

Uma substância extraída do cravo da índia promete reduzir em até 60% as dores provocadas pelos desagradáveis puxões das ceras de depilação. Conhecido como eugenol, ou simplesmente óleo de cravo, o composto - também encontrado na canela e na mirra - tem sido introduzido nas fórmulas de ceras depilatórias por funcionar como um poderoso analgésico, anti-inflamatório e antisséptico natural. 

O ativo interage com os neurotransmissores do sistema nervoso central, provocando uma espécie de anestesia local que ameniza a sensação de dor durante a retirada dos pelos. 

“As propriedades presentes nessa substância tornam o processo de depilação bem mais agradável e protegem a pele de qualquer tipo de complicação, pois combatem a ação dos radicais livres e inibem o surgimento de possíveis inflamações”, afirma Claudio Mutti, dermatologista especialista em estética médica pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SBME).

Onde encontrar
Mesmo sendo um elemento pouco conhecido do grande público, o eugenol já virou item essencial na fabricação de algumas ceras depilatórias, pois muitas empresas do ramo vêm apostando no potencial dessa substância como uma forma de atrair e conquistar as clientes mais sensíveis à dor.

“Nossa cera possui 30% de eugenol para oferecer uma depilação menos dolorosa e agressiva à pele, além de mel, que possui vitamina B6, aminoácidos e minerais, e cacau”, informa Elizabeth Aparecida Silva Moretto, técnica e proprietária da empresa Cera Sempre Lisa, de Santa Cruz das Palmeiras, interior de São Paulo. A linha de depilação da marca é composta pela cera depilatória, loção pré-depilatória, talco pré-depilatório e gel calmante. O conjunto custa R$ 90 (sem o frete).

Contraindicações e cuidados
Apesar de ser 100% natural, o eugenol não deve ser utilizado por gestantes, pois pode provocar contrações musculares e uterinas. Ele também não pode ser aplicado puro sobre a cútis. “Essa substância precisa ser diluída com outras para evitar o risco de queimaduras locais e jamais ser aplicada em peles irritadas, sensíveis e machucadas, pois pode causar complicações”, alerta Claudio.

Além disso, para que os resultados continuem positivos depois da remoção dos pelos, vale lembrar que o pós-depilatório deve seguir o mesmo roteiro dos procedimentos realizados com as ceras tradicionais, pois pode causar manchas se não houver cuidados em relação à exposição solar. 
 
Vale lembrar que a cera anestésica não faz com que a dor desapareça totalmente durante a depilação, apenas diminui o incômodo provocado pela retirada dos pelos. Contudo, como o nível de dor varia de acordo com a sensibilidade de cada um, a cera anestésica pode fazer com que a dor praticamente desapareça em algumas pessoas e seja apenas reduzida em outras.

Terra Terra