Depilação

publicidade
23 de maio de 2012 • 07h01

Fotodepilação tem prós e contras em relação ao laser

A fotodepilação é conhecida por ser menos agressiva que os métodos com laser e por promover a depilação por meio de um tipo de luz menos intensa e indolor
Foto: Divulgação
  • Especial para o Terra
 

A fotodepilação é conhecida por ser a menos agressiva dos métodos com luz pulsada famosos por combater o crescimento dos pelos. Isso porque, por meio desta técnica, realizada com um tipo de luz menos intensa que a do laser, o tratamento enfraquece os pelos conforme as sessões, que variam de seis a dez. "A quantidade depende da resposta do organismo de cada um", explica Daniela Loureiro, fisioterapeuta responsável técnica pela D’pil.

O procedimento, porém, não é tão eficaz quanto o laser, de acordo com Daniela Presente Taniguchi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e professora da Faculdade de Medicina do ABC. “O laser é mais específico e atua diretamente no folículo do pelo, promovendo sua remoção com mais eficiência. Por isso, requer menos aplicações”, ressalta.

Aplicado em toda a região do corpo, com exceção do ânus e em volta dos olhos, o procedimento só é contraindicado para grávidas, lactantes e pessoas que possuem problemas de pele que não permitem a exposição à luz, como o vitiligo e o lúpus.

Veja abaixo os pontos positivos e negativos da fotodepilação em relação ao laser e descubra se o método é indicado para o seu tipo de pele.

Prós
Pessoas que querem optar por um tratamento sem ter o incômodo da dor têm na fotodepilação a escolha ideal, de acordo com a fisioterapeuta. “Por não agir tão profundamente quanto o laser, o método chega ao bulbo do pelo sem ultrapassar essa região. Portanto, é possível que a pessoa sinta uma leve fisgada, mas não dor.”

Por meio do método, cerca de 80% das mulheres têm os pelos diminuídos ou eliminados. O intervalo entre uma sessão e outra varia de acordo com o cliente, mas no geral, eles refazem o processo num espaço de 40 dias. “Ao término do tratamento, a manutenção geralmente é feita de seis meses a um ano”, lembra a fisioterapeuta. “Dependendo do caso, em menos de seis sessões você tem a eliminação completa do pelo”, afirma ela.  

Contras
A dermatologista da Faculdade de Medicina do ABC garante que o método é indicado às pessoas de pele clara e pelo escuro, pois o tratamento age por meio da concentração de luz na melanina. “Em pessoas de pele escura, a luz pulsada pode causar manchas claras e em pessoas de pelos claros o resultado não será bom, pois muitos pelos não cairão.”

De acordo com a fisioterapeuta, apesar do efeito prolongado, a terapia demora, no mínimo, seis sessões até dar os primeiros resultados, outra desvantagem em relação ao laser, em que eles aparecem logo na terceira sessão.

FICHATÉCNICA
Nome do tratamento: Fotodepilação
Indicação:
aplicado para combater o crescimento dos pelos
Benefícios: ao término do tratamento, a manutenção pode ser feita de seis em seis meses ou de ano em ano
Quantidade de sessões: são indicadas pelo menos seis sessões
Valor médio por sessão: R$ 55 por área

Terra