0

Entenda como funciona o pH da pele e cuide dela

8 mar 2012
12h00
  • separator

Descrito em produtos dermatológicos e popularizado pelos especialistas em pele, o termo pH - potencial Hidrogeniônico - mede, numa escala numérica de zero a 14, a acidez de um produto ou da própria cútis. Por isso, além do seu tipo de pele, nos cuidados do dia a dia, também é importante estar atento ao índice.

Pele ácida, oleosa ou seca é determinada pelo pH natural da pele
Pele ácida, oleosa ou seca é determinada pelo pH natural da pele
Foto: Shutterstock / Terra



Levemente ácido, o pH médio da pele varia de 4,6 a 5,8. O potencial é responsável por combater bactérias e fungos e ainda protege contra infecções, alergias, irritações e coceiras. Determinado pela gordura e suor liberados pelas glândulas sebáceas e sudoríparas, o pH ainda pode sofrer alterações conforme a região do corpo e com o uso de produtos químicos. Assim, é importante estar atento ao equilíbrio.



A faixa de idade é outra determinante do pH, como explica Flávia Sternberg, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Quando envelhecemos, a tendência é que o potencial torne-se cada vez mais neutro, o que deixa a pele suscetível ao crescimento de bactérias e surgimento de rugas, flacidez e de manchas.



Para entender melhor como funciona o processo, confira, a seguir, a influência dos tipos de pH no cuidado da pele e como manter uma rotina de cuidados que favoreça seu equilíbrio natural.



Pele seca - pH ácido

Sensível, fina e opaca, esse tipo de cútis tem poros visíveis, rugas finas e que se descamam facilmente. Nesses casos, o índice de pH normalmente é inferior a sete.



Pele normal - pH neutro

De aspecto liso, macio e com poros pouco visíveis, esse tipo de pele tem pH igual a sete.



Pele oleosa - pH básico

Áspera, com brilho intenso, poros dilatados, poucas rugas, mas com cravos e espinhas, tem pH superior a sete.



Principais cuidados

Segundo Alessandra Marta, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a pele tem ainda uma propriedade que regula o pH, fazendo com ele retorne ao seu valor normal sozinho. Porém, uma boa ajuda é escolher os produtos certos. Para controlar os índices sem prejudicá-la, o ideal é o uso de produtos com pH neutro. Além disso, deve-se evitar o uso de cosméticos com fragrância ou corantes.



Na dúvida, trate o rosto com loções de limpeza, hidratantes e filtros solares específicos para o seu tipo de pele e não exagere nos detergentes. "Todos diminuem a oleosidade, mas podem alterar o pH e prejudicar a barreira de proteção natural da pele", complementa Flávia.



Vale lembrar que o excesso de cosméticos e de maquiagem também pode afetar o pH da pele. Para evitar danos, consulte um dermatologista sempre que possível. "Ele é a pessoa mais adequada para orientar sobre os produtos corretos", indica a dermatologista.



Agência Hélice,
Especial para o Terra

Veja também:

De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica
Fonte: Terra
publicidade