Mitos e Verdades

publicidade
29 de outubro de 2013 • 07h12

Alteração hormonal causa manchas na pele durante a gravidez

Após o primeiro trimestre da gestação, muitas futuras mamães começam a notar o escurecimento dos mamilos e o aparecimento de manchas acastanhadas na pele. A mudança na tonalidade ocorre devido às alterações hormonais típicas desta fase, e pode tanto sumir após o parto, como se tornar permanente e necessitar de tratamento.

"Procedimentos invasivos não são indicados, pois ao invés de solucionar o problema, podem causar efeito rebote e produzir mais pigmento na área", explica Denner de Castro, dermatologista na Clínica D'Castro, em São Paulo. O melhor mesmo é investir em métodos suaves como cremes manipulados e peelings superficiais seriados. Desvende, abaixo, oito mitos e verdades sobre o surgimento de melasmas durante a gestação.

A gravidez pode causar manchas na pele
Verdade.
Uma alteração hormonal, causada pelo aumento de progesterona no organismo, potencializa a produção de pigmentos da pele e com isso forma manchas. O problema fica ainda maior quando há grande exposição ao sol.

É possível prevenir ou evitar manchas
Mito.
Não existem formas de evitar a formação de melasmas na gestação, uma vez que a causa tem fundo hormonal. No entanto, é possível amenizar a situação evitando o sol, do contrário, é necessário aplicar uma generosa camada de protetor solar.

Manchas podem sumir naturalmente após o parto
Verdade.
Em algumas pacientes a diferença na tonalidade da pele regride, porém em outras mamães há o risco do melasma se tornar permanente. Tudo dependerá do satisfatório funcionamento orgânico de cada pessoa.

Braços e colo são os lugares mais comuns para o surgimento de manchas
Mito.
Raramente os melasmas aparecem nestas regiões, apesar de estarem constantemente expostas. As áreas mais afetadas são o rosto, as axilas, a virilha e o abdômen.

O surgimento de manchas depende do tom de pele
Verdade.
Peles morenas e negras carregam mais pigmentos e, por isso, têm mais facilidade em sofrer com melasmas. A dificuldade de recuperação com tratamento também é maior para esse fototipo.

Melasmas são reversíveis
Verdade.
O problema pode ser tratado com peelings químicos, medicação tópica ou laser. Esta última opção é a melhor escolha, pois oferece resultados mais eficientes.

Após o tratamento, a pele recupera o tom uniforme
Mito.
Apenas em poucos casos a pele consegue se recuperar totalmente. Na maioria dos casos, há uma melhora de 60% a 70%, mas o pigmento residual permanece e pode voltar a escurecer se os cuidados com proteção solar não forem tomados.

O problema deve ser tratado somente após a gravidez
Verdade.
Isso porque tanto os tratamentos estéticos quanto os medicamentos tópicos podem apresentar riscos à gravidez.

PURA VERDADE
Manchas acastanhadas costumam surgir durante a gravidez ou mesmo após o parto devido a alterações hormonais que estimulam o aumento de pigmentação. Além disso, a exposição solar sem os devidos cuidados ajuda a escurecer ainda mais determinadas regiões do corpo, como axilas e virilha. Embora os tratamentos ofereçam resultados satisfatórios para clareá-las, na maioria dos casos a pele não recupera o tom original. E você, sofreu com manchas na gravidez? Conte sua experiência nos comentários

Agência Hélice Terra