0

Depilação com lâmina chega a arrancar pele da axila; entenda

13 ago 2013
07h09
atualizado em 16/8/2013 às 09h59
  • separator
  • 0
  • comentários

Quando a opção escolhida para eliminar os pelos das axilas é a lâmina, estudos indicam que não são apenas os fios que são removidos. O atrito provocado pelo aparelho causa lesões cutâneas e retira até 36% da pele a cada depilação e também gera o espessamento da região. Com a retirada constante e sem os devidos cuidados, aumenta a chance de foliculite e pelos encravados.

Apesar de ser um método eficaz, é preciso ser usado com moderação. “A depilação com lâmina dura de quatro a cinco dias, sem haver a necessidade de retocar a técnica diariamente”, informa Marcelo Bellini, dermatologista e membro da Academia Americana de Dermatologia. Abaixo, confira sete mitos e verdades sobre o uso da lâmina na depilação da axila.

A depilação com lâmina remove mais de 30% da pele das axilas.
Verdade. Além de promover o espessamento da cútis na região, o atrito da lâmina remove cerca 36% da pele das axilas por meio de microlesões. Além disso, deixa a região mais exposta a infecções e lesões.

Optar pela depilação com lâmina causa foliculite.
Verdade. Com a remoção constante dos pelos com lâmina, a tendência é de que as peles mais sensíveis apresentem foliculite. Para evitar o problema, o ideal é que o fio seja aparado no sentido do crescimento e o aparelho não seja utilizado mais do que três vezes. Usar cremes que preservem a cútis antes da depilação e mantê-la hidratada após o processo também são medidas importantes.

É bom passar sabonete antes da depilação para a lâmina deslizar melhor.
Mito. O sabonete aumenta o risco de encravamento, pois promove o atrito. Existem espumas e cremes específicos que facilitam o deslizamento da lâmina e ao mesmo tempo formam uma película protetora.

Realizar a depilação com lâminas deixa a pele mais escura.
Verdade. Devido às microlesões causadas pela depilação, a pele tende a ficar mais escura. A exposição ao sol com a pele sensibilizada também é um agravante.

Depilação com lâmina deixa os pelos mais grossos.
Mito. Quando o pelinho está mais próximo da superfície da pele, é naturalmente mais grosso. Já nas pontas, se apresenta mais fino. Ao cortá-lo rente à cútis, o pedaço exposto está sua espessura normal, apesar de causar estranhamento.

O ideal é preparar a pele antes de se depilar.
Verdade. Há um favorecimento maior se antes for realizada uma esfoliação, por exemplo, pois reduz as chances de surgirem pelos encravados. Além disso, antes de passar a lâmina, o ideal é lavar a área com água quente ou aplicar uma toalha quente para abrir os poros. Após a depilação, é importante manter a região hidratada, de preferência com loções calmantes.

Pode ser aplicado qualquer tipo de antitranspirante após usar a lâmina.
Mito. Produtos com álcool na fórmula agridem a cútis sensibilizada pela depilação. O ideal é procurar antitranspirantes que não possuam o componente para evitar irritação, ardência ou até mesmo alergias.

PURA VERDADE
A depilação com lâmina é simples e eficaz, porém, além de eliminar mais de 30% da pele por meio de microlesões, a técnica entra em atrito com a cútis e pode causar outros problemas, como foliculite e encravamento, caso não sejam tomados os devidos cuidados antes e depois da remoção dos pelos. Conte para gente, nos comentários abaixo, se você já teve algum problema na axila causado pela depilação com lâmina.

 

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade