publicidade
16 de maio de 2012 • 07h02

Ácido kójico clareia manchas e pode ser usado à luz do dia

O ácido kójico é um despigmentante natural que age sobre a pele inibindo a ação e a produção da melanina (substância produzida pelos melanócitos que causam, além do bronzeado, manchas na cútis)
Foto: Shutterstock
  • Especial para o Terra
 

Na hora de combater as manchas no rosto, muitas mulheres torcem o nariz por não poderem mais se expor ao sol e pegar aquele bronzeado. No entanto, uma nova alternativa de tratamento vem sendo incorporada nas formulações de diversos cremes por não ser fotossensível, ou seja, não mancha a pele, eventualmente exposta à luz solar. 

A novidade é o ácido kójico, um despigmentante natural, eficiente e seguro, que age sobre a pele inibindo a ação e a produção da melanina (substância produzida pelos melanócitos que causam, além do bronzeado, as manchas na cútis).  O ativo é produzido por um cogumelo japonês chamado Koji, também usado na fermentação do arroz para a produção do saquê. 

“O ácido kójico tem como grande benefício o fato de poder ser usado durante o dia e de não causar, na maioria dos casos, nenhum tipo de irritação. Por isso, ele pode ser utilizado em qualquer época do ano”, informa Claudio Mutti, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia (SBLMC) e especialista em estética médica pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SBME).

De acordo com o especialista, a pessoa que faz uso do ácido kójico pode realmente se expor ao sol, mas não deve deixar alguns cuidados básicos de lado. “É importante lembrar que devemos fazer o uso do fotoprotetor sempre”, alerta. 

Além de seu efeito despigmentante, a substância também atua como um antisséptico, impedindo a proliferação de fungos e bactérias na pele. Além disso, tem ação antioxidante, ajudando no combate aos radicais livres e atuando na prevenção do envelhecimento cutâneo. 

Onde encontrar?
O ácido kójico pode ser encontrado em formas de cremes, géis, emulsões e loções aquosas. Alguns produtos têm o composto como principal princípio ativo e outros possuem formulações combinadas com ácido glicólico e vitamina C, por exemplo. 

Uma das marcas que apostam no ácido kójico e oferecem cosméticos com esse ativo é a Thera Skin. A empresa conta com a linha Klassis que possui uma associação de ativos (arbutin, ácido kójico, ácido láctico e ácido glicólico) para a prevenção de sinais de dano solar, promovendo o clareamento gradual da pele. A coleção conta com o Klassis Creme - indicado para peles secas a normais - e o Klassis Emulgel - recomendado para peles oleosas e mistas. Os dois produtos custam R$ 108, cada. 

“Independentemente do cosmético utilizado, o ácido kójico deve ser aplicado diariamente, com a pele limpa e hidratada, e não deve ser usado se houver queimadura local, irritação, inflamação ou com alguma infecção”, explica Vânia Carolina Piccinini Silva, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). 

Resultados e contraindicação
Apesar de ser considerado um clareador menos potente do que a hidroquinona - ingrediente ativo mais prescrito pelos médicos dermatologistas para tratar manchas na pele que age diretamente nos melanócitos dificultando a reação química de formação da melanina - o ácido kójico não demora muito para apresentar os primeiros resultados. “É possível perceber a diminuição das manchas em um período de 15 a 30 dias, podendo ser usado ininterruptamente por até seis meses”, diz Claudio. O ativo não apresenta contraindicações, mas antes de usá-lo é fundamental consultar um dermatologista.

Terra