0

De kiwi a caju: alimentos aceleram cicatrização pós-plástica

5 abr 2013
07h18
atualizado às 07h18
  • separator
  • 0
  • comentários

Logo após uma cirurgia estética é comum o receio de que alguma marquinha fique sobre a pele. Isso porque apesar de toda a técnica e do cuidado médico, o corte feito durante a plástica pode produzir uma lesão na camada intermédia da cútis, resultando numa indesejável cicatriz. No entanto, por meio de uma alimentação especial é possível aliar o êxito do tratamento com uma pele lisinha.

Com importantes propriedades nutritivas, alimentos como a linhaça e a sardinha aceleram o processo de cicatrização. “Quando consumidas adequadamente, iguarias ricas em vitaminas e proteínas trabalham em conjunto para a multiplicação das células responsáveis por recuperar o tecido lesionado”, explica Anna Bordini, médica ortomolecular da Clínica Bertolini, de São Paulo.

Durante o processo de cicatrização, existem três etapas nas quais o organismo precisa de nutrientes específicos para se renovar. Caracterizada pela coagulação, a fase inflamatória necessita de vitamina K, proteínas e aminoácidos. Já no segundo estágio, o desenvolvimento das células epiteliais - essencial para promover a resistência da ferida - pede fontes de ferro e zinco.

Na regeneração, a presença de carboidratos, vitaminas e proteínas é fundamental para o processo de estabilização da síntese de colágeno, a proteína responsável pela constituição do tecido conjuntivo. Contudo, nem todos os alimentos são permitidos durante a fase de recuperação.

“No pós-operatório, café, refrigerante e bebidas alcoólicas devem ser excluídos do cardápio, pois dificultam a chegada dos nutrientes até o ferimento”, destaca Rodrigo Mangaravite, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Por isso, confira, a seguir, o que colocar no prato para ficar livre das cicatrizes após realização de tratamentos cirúrgicos.

Brócolis, repolho e couve-flor
Indicado principalmente para pacientes que tomaram anestesia, o trio formado por brócolis, repolho e a couve-flor auxilia na recuperação do tecido, por ser rico em antioxidantes e compostos de enxofrados bioativos. “A paciente pode consumir três porções frescas dessas verduras diariamente”, esclarece Anna.  

Frutas vermelhas
Com função desintoxicante, as frutas vermelhas como o morango e amora têm capacidade de proteger as paredes dos vasos sanguíneos, combatendo o processo inflamatório. Os elementos naturais ainda ajudam na estimulação da coagulação e devolvem a elasticidade cutânea. Para conquistar os benefícios é necessário consumir três porções das frutas frescas.

Ômega- 3
Ricas em ômega-3 (tipo de gordura que o organismo não consegue fabricar, mas precisa ser ingerida diariamente), a linhaça, a sardinha e a semente de chia são boas opções para quem quer acelerar o processo de cicatrização. Por isso, podem ser ingeridas em uma porção diariamente. 

Vitamina C
Fácil de ser incorporada à dieta, a vitamina C é capaz de estimular a produção de colágeno, diminuindo as chances de inflamação. Além disso, nutrientes enriquecidos com essa vitamina ainda deixam a cútis firme e nutrida. O indicado é comer alimentos in natura e não sucos ou concentrados. “São três porções de frutas cítricas por dia, (laranja, caju, kiwi e abacaxi) ou verduras (agrião, couve e brócolis) para garantir uma cútis saudável”, afirma Anna. 

Zinco
Para melhorar o aspecto da cicatriz, o recomendado é apostar em aves, carne vermelha, cereais integrais, fígado, leite e derivados e peixes, pois são ricos em zinco. Esse composto mantém o tônus muscular e nervoso com uma porção diária (ou dois copos, tipo americano, de leite).  

Veja também:

Coronavírus: o que é uma pandemia e por que o atual surto ainda não é uma
Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade